Pérola Negra, Celebración

Perola Negra_008_Charlene Cabral

Perola Negra_004_Charlene Cabral

Perola Negra_002_Charlene Cabral

Perola Negra_000_Charlene Cabral

Perola Negra_003_Charlene Cabral

Perola Negra_005_Charlene Cabral

Perola Negra_001_Charlene Cabral

Perola Negra_007_Charlene Cabral

O único que vivi desse carnaval, ensaio, uma gente contagiante. O movimento não parava, era algo eterno, até cansar, eu parada, ocupada em observar, em absorver, em encarar qualquer coisa que não fosse apenas a eterna justificativa da câmera na mão. Pensando em Celebración e no quanto eu deveria ter o flash para congelar essas poses e que me bastassem depois, mas logo desistindo e abraçando a nova possibilidade, a condição inevitável de só ter o foco manual ao meu dispor, e de ter que baixar essa velocidade de obturação, e de me virar, relaxar e assumir. Como pode chegar a ser tudo nessa vida, uma questão de assumir. Eu que, no fim, ou até no meio, achei que essa nova estética não elegida era não somente válida como era santa, era outra, era a não escolhida, e por isso era o pequeno grito de uma minúscula – ainda que séria – nova liberdade de ação. Eu que não acredito em acasos. (e que poucas vezes tenho me entregado a alguma coisa. ainda que nao venha ao caso). Como se a nitidez pedisse um respiro.

Companhias literárias em uma cidade nova, uma cidade grande, uma cidade,

orelhao_sampa_charlene_cabral

Telefone público, Metrô – São Paulo, 2013.

“Tem me ocorrido muitas vezes que os anos agora parecem mais curtos, que passam mais rápido. Aos 26 temos quase 30 na verdade, e acordei com um grande baque de consciência no meu coração, meus olhos se abriram de repente e vi o tempo voando como um pássaro enorme. Estamos chegando na idade em que temos maior poder, no nosso ápice. Sinto-me mais velho e mais lúcido do que jamais me senti – apesar de ao mesmo tempo mais irrevogavelmente isolado no vasto sonho do mundo. Na verdade nao vejo muito futuro, já que a essa altura eu já deveria estar mais conectado com as coisas externas, como $ e a sociedade. O que quer que eu tenha querido ser, ainda não sou. Não sou nenhuma das muitas coisas que quis ser – e talvez nunca seja. Cada vez eu abro mais os olhos.”   (Allen Ginsberg, em uma carta para Neal Cassady e Jack Kerouac , NY, 10 da noite, quinta-feira, 15 de fevereiro de 1952).

baixa augusta_sampa

Baixa Augusta, São Paulo, 2013.

Fotopres 2013

Celebración_001_Charlene Cabral

imagem do projeto Celebración (2012)

Foi com alegria que há uns dias atrás encontrei meu nome entre os finalistas do 19 Fotopres de La Caixa. O projeto inscrito leva o nome provisório de Alegoria e deve ser um documental sobre diversos tipos de concursos de beleza celebrados no Brasil.

Em breve imagens do projeto iniciado…

Trabajo de verdad

encuadernación + fotografía + escritura + amor

trabalhando e cantando,

feliz,

ontem à noite.

 

 
y ahora el nuevo juguete….

que será estrenado hoy:

Nikon FM2 negra con motor! Lleva 8 pilas AA el cabrón, pero mola mucho!

Instantaneous Parts – 25 days

El panel de polaroides Instantaneous Parts-25 days que expongo en la galería No-lugar the art company hasta el 18 de octubre! Somos unos 50 artistas, cada uno poniendo de su parte en una hiper-variada colectiva organizada por Zunder Collective y el personal de este interesantísimo local de Sevilla. Voilà!

Zunder + No-lugar

El próximo viernes 14 de septiembre, a partir de las 2oh en No-lugar the art company:

Una expo colectiva que formará parte del circuito de actividades del festival Alamedeando de Sevilla y que es resultado de la colaboración entre No-lugar y Zunder Collective. Presentaré una pincelada de Instantaneous Parts junto a un montón de otros buenos fotógrafos… :)

No-lugar está en C/ Trajano, 16 – Sevilla y la expo se podrá visitar hasta el 18 de octubre.

 

(el hermoso cartel es obra del artista Lucianshow)

Zunder Magazine Issue # 6

En su sexta edición Zunder Magazine publica una selección de 16 fotografías que forman el proyecto Instantaneous Parts! Un conjunto que incluye polaroides en color tomadas con el PX680 y en B/N hechas con el PX600 Silver Shade – estas últimas contando con la imagen original y su posterior deterioro.

para verlas:

(portada by Lucianshow)

http://zundercollective.com/filter/magazine/Issue-6

Y de mientras sigue el verano y sigo yo con mis instantáneas queridas..pero ya en un nuevo proyecto!

A %d blogueros les gusta esto: